segunda-feira, 9 de dezembro de 2013


Mulheres Comprometidas para Impactar
Introdução:
A queda de Adão e Eva , que cominou a expulsão de ambos do Jardim do Éden trouxe sérias consequências em todas as áreas  da vida humana e em vários aspectos. Uma das consequências mais marcante foi a desvalorização que a mulher foi submetida ao longo da história humana. A mulher foi humilhada, ultrajada e considerada um ser inferior o homem. Mas louvado seja Deus, Jesus Cristo veio ao mundo, buscar e salvar o que se havia perdido. Ele veio restaurar, a criação. Ele veio resgatar a mulher e devolver a ela a sua dignidade. Baseado na afirmativa de Jesus que Ele veio para os doentes e não para os sãos, entendo que todo aquele que aceita a Jesus como Salvador, estava doente da alma(espiritual) e alguns ainda doentes também do corpo(físico). Mas é interessante observar que muitas pessoas que aceitam Jesus como Salvador, não tomam posse da salvação completa. São crentes, lavados e remidos no sangue de Jesus, mas não desfrutam da verdadeira paz. Não usufruem da vida abundante prometida por Jesus simplesmente porque carregam ainda um fardo pesado em suas costas. Não entenderam a proposta de Jesus que diz que o seu fardo e leve e o seu jugo é suave. Estas pessoas vivem debaixo de um jugo chamado traumas emocionais, que provocam sentimento de culpa, auto estima baixa e vivem sob maldição. O tratamento para isto é a confrontação… As pessoas não querem lembrar de passados tão sofridos. Preferem jogá-los para baixo do tapete, tentando esquecê-los. Só que as feridas, as cicatrizes estão bem latentes na alma. Estas pessoas precisam de alguém que os ajude as trazer a memória estas coisas que depois de tratadas irão trazer esperança. Como pregar para outrem, evangelizar, aconselhar, se não estamos curados destes traumas? Poderemos até fazê-lo, mas não iremos impactar. A nossa atuação será medíocre e não trará resultados. Mas se formos confrontados e confessarmos estas situações que nos traumatizou, ficaremos curados, restaurados e com certeza a nossa pregação itrá impactar aqueles que nos ouvem. O caso da Mulher Samaritana é um exemplo disto que estamos falando. JOÃO 4.1-30
Neste relato Bíblico gostaríamos de ressaltar algumas coisas que chamou a nossa atenção:
1.   Como Jesus certa ocasião afirmou que ele não fazia nada de si mesmo, mas fazia o que o Pai mandava, entendo que O Pai determinou a passagem de Jesus para Samaria.
2.   Apesar das divergências doutrinárias e as discriminações raciais e sociais existentes entre judeus e samaritanos, Deus queria tirar dos samaritanos UMA DÚVIDA ATRÓS. Qual o lugar da verdadeira adoração?
3.   Quem Deus iria usar para esta importante missão? Ele olhou do céu e viu uma mulher que ao olhar humano era:
·         Vulgar
·         Imoral
·         Depravada
·         Tomadora de Marido das outras.
·         Uma desocupada
·         Uma mulher que não valia nada
4.   Mas no olhar de Deus a mulher samaritana era alguém que tinha um grande potencial e poderia ser usada nesta grande missão.
5.   Mas que antes, precisava passar por um tratamento da sua alma, pois a samaritana na verdade era uma mulher:
·         Sofrida, em decorrência dos fracassos no casamento.
·         Amarga, por causa dos desapontamentos com cada casamento que chegava ao fim.
·         Frustrada, pois nada dava certo na sua vida.
·         Discriminada, por causa de ter pertencido a vários homens.
·         Solitária, não tinha amizades em sua comunidade.
·         Que apesar de tudo, tinha qualidades que Ele Deus, queria utilizar.
·         Que tinha um desejo sincero em seu coração: o de adorar o verdadeiro Deus.
6.   A estratégia que Jesus emprega para este tratamento é simplesmente incrível:
·         Ele envia os seus discípulos a comprar comida, para aguardar sozinho a vinda desta mulher tão especial, e amada do Pai, a samaritana.
·         Ele provoca o diálogo, quando pede de beber a mulher samaritana
·         Ela reage achando talvez o cúmulo do abuso. Um judeu pedindo água justamente a ela que era samaritana. Os judeus não se davam com os samaritanos e os discriminavam muito.
·         Jesus observou que a mulher samaritana era uma mulher sedenta, não só da água da fonte de Jacó, mas principalmente da agua viva que só ele podia oferecer.
·         Jesus então atrai a atenção dela falando de uma água que ela não conhecia.
·         Nós também como pregadores, conselheiros, professores, evangelistas, precisamos ter uma mensagem que atrai as pessoas e que traga o interesse das mesmas em ouvir a Palavra de Deus.
·         A mulher interessou-se pela agua oferecida por Jesus. Ele então vai mexer na ferida da mulher. No cerne do problema. Naquilo que precisava ser tratado. As decepções com o casamento, ou os cinco relacionamentos, mal acabados.
·         Isto possivelmente provocou na mulher samaritana, um grande trauma emociona. Ficou frustrada, amarga, infeliz, carregando sentimento de culpa e pensando ter sido amaldiçoada. Para piorar a situação a sua auto estima estava muito baixa.
·         Para confronta-la com estes problemas que deixaram cicatrizes profundas, Jesus manda que ela trouxesse o seu marido. No que ela responde que não tem marido.
·         Jesus a parabeniza dizendo-a que ela falou a verdade. Vou mais além, revelou a ela algo que talvez ela quisesse esquecer para sempre. Você teve 05(cinco) maridos e o que tens agora não é teu marido, pertence a outra.
·         Ela chega a conclusão que aquele que estava falando com ela era profeta e que poderia sanar uma dúvida que não somente ela, mais os seus conterrâneos também que era saber qual o verdadeiro lugar para se adorar ao Senhor. Isto porque os judeus eram categóricos em afirmar que era em Jerusalém e os samaritanos entendiam que era no Monte Gerezim , o monte da benção ou onde Moisés proferiu as bênçãos sobre o povo de Israel.
·         Pronto a mulher samaritana sentiu-se aliviada com aquela confissão. O fardo foi-lhe tirado das costas. Agora o papo, o assunto seria outro. Ela quer saber da verdadeira adoração.
·         Jesus então ministra a mulher samaritana uma palavra impactante com revelações bombásticas. Revelações estas, que só foram feitas a mulher samaritana e que somente João, o apóstolo envolvido com a adoração (no livro de Apocalipse) registrou.
·         Quando os discípulos de Jesus retornaram, foram falar com ele, interrompendo o diálogo de jesus e a mulher samaritana.
·         Mas ela já estava totalmente curada, restaurada. Tanto é que deixa o seu cântaro e vai a cidade proclamar o que Jesus fez em sua  vida e convidá-los a vir e ver aquele que transformou todo o seu ser.
·         Ela deixa o cântaro, isto é os seus afazeres domésticos e diários e prioriza o chamado urgente de Jesus que a comissionou e a capacitou para levar boas novas a sua cidade.
·         Ela fez como os quatro leprosos do Livro de 2 Reis que ao irem ao arraial dos sírios que haviam sitiado a cidade de Samaria. Chegando lá eles encontraram o arraial destruído e muita comida abandonada e o povo estava morrendo de fome a ponto de estarem comendo carne humana. Eles disseram: Este dia de boas novas e nós nos calamos. Se levantaram e foram a Samaria e anunciaram aquilo que o profeta Eliseu havia profetizado ao rei.
·         Fico maravilhado em ver que a mulher samaritana foi investida de uma autoridade tão grande que aqueles que a discriminavam, tiveram que parar e  ouvir o que ela tinha a dizer. Ela impactou a sua cidade e levou todos eles ao encontro de Jesus.
·         Tal qual o gadareno ela se tornou uma missionária entre os seus. Óbviamente a mulher samaritana e  o gadareno representam o tipo de pessoas que nenhuma agência missionária na terra, enviaria como missionários. Mas Deus, não vê como nós vemos, Aqueles que para nós são incapazes e descartáveis, são exatamente estes que Deus usa grandemente.
Concluímos esta palavra ministrando uma oração aquelas pessoas que tinham convicção que estavam carregando fardo pesado dos traumas emocionais passados. Um bom número veio a frente e sentimos o mover de Deus. Creio piamente que Deus restaurou vidas nesta noite.
Amém

Pastor José Mário da Silva
Em 02 de fevereiro de 2013 –

Vivendo o impossível no Ano de Conquistas

Nenhum comentário:

Postar um comentário